Dá para parar de trabalhar se ganhar na loteria?


Ganhar Dinheiro na loteria





Olá pessoal!

Este Post é, originalmente, uma análise que fiz para colegas de trabalho que se organizaram em bolão para concorrer ao prêmio da Mega-Sena da Virada do ano de 2011. Como havia prometido, resolvi atualizá-lo e publicá-lo. 

O sonho do enriquecimento instantâneo está sempre presente em nossas vidas. Quem nunca se pegou sonhando o que faria com o “caminhão de dinheiro” repentinamente ganho caso fosse o acertador das seis dezenas da Mega-Sena? Muitos, de imediato, respondem: “Deixaria de trabalhar e tiraria férias eternas!”. Já imaginou que legal?

Mas, de fato, esse dinheirão dura a vida toda, sob quaisquer condições? Se sim, por que tantos ganhadores, depois de algum tempo, voltam à mesma situação financeira (ou pior) que tinham antes de receber a bolada? Quais cuidados devemos ter ao recebermos quantias tão vultosas?

E não adianta dizer "E você acha que sou bobo? Desta água nunca beberei". Estas pessoas aqui, provavelmente, também pensavam isso!

Objetivos:
  1. Demonstrar o efeito do Juro Composto sobre um determinado Capital em determinado tempo;
  2. Demonstrar o risco de não considerar o efeito Inflação nas suas projeções de ganho;
  3. Demonstrar como calcular quanto um prêmio de loteria deve nos render de forma a durar a vida toda.

Lembre-se: Neste Blog, mais do que demonstrar cálculos e fazer projeções, buscamos transmitir formas de pensar e encarar dilemas financeiros que te levem a repensar sua relação com o dinheiro. Portanto, aproveite a linha de raciocínio para aplicá-la em outras situações do seu dia a dia, em seu benefício.

Boa leitura!


MEGA DA VIRADA - Dá para parar de trabalhar?


Se você ganhasse o prêmio de final de ano da Mega-Sena você pararia de trabalhar? Provavelmente já deve ter pensado nessa possibilidade. Mas já fez as contas para saber se isso seria realmente possível? Provavelmente não. Então, resolvi fazer para te ajudar.

O prêmio da Mega da Virada foi de R$ 244.784.099,16. O nosso bolão possuía 46 pessoas. Assim, o prêmio para cada um seria R$ 5.321.393,46 (UAU!!!). Que beleza hein? Passaríamos a ser MILIONÁRIOS! Quem de nós já sonhou em ter um patrimônio desses? (Eu já! Por enquanto estou trabalhando para isso. Mas chegar lá sem trabalhar é melhor ainda, não é?).


Supondo que uma pessoa, indefectivelmente, economize R$ 500,00 mensalmente, sabe quanto tempo levaria para juntar esse valor? 887 anos!?! Dá para esperar esse tempo todo?

Mas, ainda bem, que existem os juro compostos! Não para quem está devendo no banco, claro! Se esses mesmos R$ 500,00 forem depositados na poupança que, atualmente, rende míseros 0,50% ao mês e não incide Imposto de Renda (para esse cálculo vamos considerar que essas premissas não mudem com o tempo), seria necessário esperar 67 anos! Hã? 820 anos a menos? É isso mesmo! Veja no gráfico abaixo a evolução dos seus depósitos mês a mês nas duas situações.


Você consegue perceber o efeito dos juro compostos? Agora veja o gráfico com os valores depositados na poupança, destacando Capital e Juro:


Perceba que à medida que se vai acumulando um maior valor, o juro auferido cresce exponencialmente. No exemplo, para acumular o valor total de R$ 5.332.696,79 em 67 anos a uma taxa mensal de 0,50% foi necessário um capital de apenas R$ 400.500,00. Ou seja, R$ 4.932.196,79 (92% do total) foi proveniente de juro.



É claro que não está na meta de ninguém esperar 67 anos para acumular riqueza. O exemplo visa apenas mostrar o impacto do juro em um investimento. Porém, como não há fórmula mágica, só há duas formas de acelerar o processo de acumulo de riqueza, reduzindo o tempo:


  1. Aumentar os aportes de capital: depósitos de R$ 1.000 = 55 anos; R$ 1.500,00 = 49 anos; R$ 2.000 = 44 anos; R$ 2.500,00 = 41 anos;
  2. Aumentar a taxa de retorno: retorno de 0,6% = 58 anos; 0,7% = 52 anos; 0,8% = 47 anos; 0,9% 43 anos.

    Um terceira forma seria a combinação das duas anteriores:
  3. Aumentar aportes e taxa de retorno: R$ 1.000,00 e 0,6% = 49 anos; R$ 1.500,00 e 0,7% = 39 anos; R$ 2.000,00 e 0,8% = 32 anos; R$ 2.500,00 e 0,9% = 28 anos.

Mas calma, a análise ainda não acabou! Vamos mudar a forma de pensar. Vamos supor que fomos agraciados com o prêmio. Quanto que ele nos renderia na poupança? Simples: Basta multiplicar o prêmio pela taxa de rentabilidade da poupança e acharemos o valor de R$ 26.606,97 (UAU!). Definitivamente, daria para parar de trabalhar!



É daria, se não fosse dois pequenos detalhes:

1) Você teria que guardar todo o prêmio, sem gastar nada imediatamente.

Por que? Vamos aos números que eles não mentem (ou pelo menos quase nunca).

Para começar, digamos que queira se presentear com um apartamento maior e um carro melhor, afinal, você merece. Então escolhe um carro de luxo, no valor de R$ 100 mil e um apartamento espaçoso, num bairro excelente, no valor de R$ 800 mil. Gastou apenas R$ 900 mil de um total de mais de R$ 5 milhões. Pouca coisa!

Mas você tem seus pais e mais um irmão para presentear e retribuir todo apoio que lhe deram nos anos de amargura. Então você compra um apartamento de R$ 500 mil para seus pais e dá um carro de R$ 50 mil para cada um. Para seu irmão você dá mais um apartamento de R$ 400 mil e mais um carro de R$ 50 mil. No total deu R$ 1,05 milhão. Somo com seus próprios mimos dá R$ 1,950 milhão.

Mas para bancar tudo isso você tem que pagar taxas e tributos, digamos, da ordem de 10% do gasto, ou seja, R$ 195 mil. Total gasto: R$ 2,145 milhões. 40% do prêmio.

Mas, com o que sobrou, qual seria seu rendimento mensal? R$ 15.881,97. Hum! Seu padrão de vida já terá que ser um pouco menor mas ainda excelente, concorda?

2) Mas (a culpa é sempre do MAS) não podemos desconsiderar a nada desprezível INFLAÇÃO!

Depois dos gastos iniciais, vamos supor que você se torne disciplinado e que todo mês retire da sua poupança apenas o rendimento (R$ 15.881,97), preservando o capital (R$ 3.176.393,46). Agindo dessa forma inteligente, você nunca mais precisaria trabalhar porque o dinheiro duraria para o resto da vida.

É? Pois saiba que o IPCA (índice de inflação considerado oficial pelo Governo Federal) em 2012 foi de 5,84%. Dividindo o valor por 12 temos uma taxa média mensal de inflação de 0,49%. Pois bem, veja no gráfico abaixo o que aconteceria com o seus rendimentos e como se comportaria seu gasto mensal, levando em consideração a inflação, para que você mantenha seu novo padrão de vida:


E, agora, veja o que aconteceria com o saldo de sua poupança considerando as mesmas premissas:



Ou seja, sua poupança duraria apenas 17 anos! Tá achando muito tempo? Bom, no meu caso, daqui a 17 anos estarei com 50 anos, com uma expectativa de vida de mais 24 anos e minha filha terá apenas 20 anos! E tendo largado o emprego, sem fonte de renda e tentando manter o mesmo padrão de vida.



Por isso, ao fazer suas projeções, é importante que sempre considere a taxa de juro REAL e não a NOMINAL que, nesse caso, seria de 0,01% ao mês (0,50% - 0,49%). Portanto, o rendimento mensal REAL que você teria que sacar mensalmente para que o prêmio durasse sua vida inteira na poupança, seria R$ 317,64. Hã?!? Só isso?!? É, só isso (poderia ser R$ 532,14 se não tivesse comprado todos aqueles apartamentos e carros, lembra)?

Outra coisa que poderia fazer é considerar a sua expectativa de vida. Se, por exemplo, você tiver 33 anos e sua expectativa de vida for de 74 anos, poderá começar sacando R$ 6.661,36 e corrigir este valor mensalmente pela inflação. Porém, ao chegar aos 74 anos sua reserva se acabará.

Decepcionado? Não, não fique! Há investimentos melhores que a poupança, como Títulos Públicos indexados ao IPCA que rendem juro real de 0,33% ao mês. Isso significa que você poderá resgatar R$ 10.482,10 por mês (R$ 17.560,60 se não sair comprando apartamentos e carros). Além disso você pode diversificar seus investimentos, correndo ainda algum risco mas que também possa te proporcionar maiores retornos.

Esperamos que agora consiga entender porque algumas pessoas que se tornam milionárias da noite para o dia perdem a fortuna tão rapidamente. Um bom planejamento financeiro será o diferencial para que atinja o sucesso.

Um grande abraço e até a próxima!

Kleber Rebouças

Rico Dinheiro: Curta e Compartilhe Educação Financeira





CEMIG-AGENTE DE FATURAMENTO MOTOCICLISTA

-----

Nos próximo Post iniciaremos a séria sobre planejamento financeiro. "Começaremos pelo começo" e ensinarei técnicas para que se organize e controle suas receitas e despesas de forma rápida porém precisa.

Em paralelo, teremos mais dois Posts, a pedido de leitores.

O primeiro será comparando alguns tipos de investimentos de renda fixa: poupança, CDC, Títulos Públicos, etc. Mas, futuramente, quando iniciarmos a série sobre investimentos retornaremos a esses produtos pois tentaremos decifrá-los de forma mais detalhada.

O segundo tentará responder a pergunta: "Vale a pena vender meu apartamento, aplicar o dinheiro e viver de aluguel?". Pense um pouco sobre isso. Talvez você possa se surpreender.

Comentários

  1. Olha dependendo do premio da sim so que claro que é preciso procurar outros fundos de investimento para manter um bom capital.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Financiamento Imobiliário: Tabela PRICE ou SAC?

Exchange Traded Fund

Ganhe Dinheiro com o seu Cartão de Crédito