Conta Eletrônica - Ou o que o gerente do seu banco nunca te oferecerá


http://www.vice.com/read/international-cyberthieves-stole-40-million-from-a-bank-in-ten-hours

Não ter conta corrente hoje em dia parece inimaginável. Quase ninguém mais guarda dinheiro "embaixo do colchão". Mas ter conta corrente envolve arcar com o custo de tarifas e serviços bancários. Já imaginou ter uma conta corrente com tarifa zero? É possível! Saiba como lendo este artigo.

Os objetivos deste artigo são:

  • Explicar os tipos de tarifas que podem ser cobradas pelos bancos;
  • Comparar preços de tarifas entre os principais bancos do país;
  • Alertar o leitor a respeito das armadilhas nos Pacotes de Serviços oferecidos;
  • Mostrar ao leitor o caminho para ter uma conta sem tarifas.








Universalização dos bancos


Basta dar uma volta no centro de uma cidade de porte médio que vemos dezenas de agências bancárias. Muitas vezes temos a sensação que todo mundo tem uma conta corrente.

Apesar disso, uma pesquisa do Data Popular, de 2013, com brasileiros maiores de 18 anos, apontou que 39,5% não possuem nem conta corrente nem poupança. As três principais razões apontadas no estudo foram:

  • a dificuldade de acesso à rede bancária;
  • pessoas que já tiveram contas bancárias, mas que devido a problemas financeiros ficaram endividados ou inadimplentes e
  • enxergar os bancos como instituições “exploradoras”.

Segundo o estudo, 55 milhões de adultos não-bancarizados movimentam R$ 665 bi por ano.


Conta Corrente


A conta-corrente é uma conta de depósito mantida num banco ou outra instituição financeira por uma pessoa física ou jurídica. Por meio da conta bancária, é possível acessar diversos serviços bancários como depósitos e/ou saques, investir em poupança, empréstimos, realizar pagamentos e/ou transferência de valores, etc.

Assim como a poupança e a conta-salário, é uma das principais portas de entrada do cidadão no mundo financeiro. Entretanto, diferentemente das duas primeiras, não é um serviço gratuito. Mas isso não quer dizer que os bancos estão livres para cobrar quanto quiserem.

São quatro as modalidades de serviços embutidos numa conta corrente (Resolução CMN 3.919, de 2010):

  • serviços essenciais: aqueles que não podem ser cobrados;
  • serviços prioritários:  constantes da Lista de Serviços da Tabela I anexa à Resolução CMN 3.919, de 2010;
  • serviços especiais: aqueles cuja legislação e regulamentação específicas definem as tarifas e as condições em que aplicáveis;
  • serviços diferenciados: aqueles que podem ser cobrados desde que explicitadas ao cliente ou ao usuário as condições de utilização e de pagamento.

Portanto, se você tem utiliza apenas os serviços essenciais não deve ser cobrado por nenhuma tarifa. A listagem completa dos serviços essenciais também podem ser consultada na Resolução CMN 3.919.


O uso da conta é o que conta


Entre os serviços essenciais estão alguns dos mais utilizados pelos correntistas: saques, transferências entre correntistas da própria instituição e extratos da conta.

O problema é que a quantidade de uso mensal desses serviços essenciais é limitada:

  • 4 saques
  • 2 transferências entre correntistas da própria instituição
  • 2 extratos

Ora, não é incomum que o correntista ultrapasse estes limites. Portanto, alguma tarifa a de ser cobrada. Veja, nos exemplos abaixo, as tarifas cobradas por alguns dos principais bancos do país:


Pela escala de cores é possível observar que a Caixa, em relação as tarifas selecionadas, é o banco mais barato e o HSBC e Samtander os mais caros. Mas uma coisa é comum a todas as instituições: o atendimento presencial é sempre mais caro que o atendimento através de meios eletrônicos.

Se um correntista hipotético precisasse realizar, num determinado mês, 10 saques, executar 3 transferências, 1 DOC/TED e imprimir 5 extratos, todos por meio eletrônico, incorreria nos seguintes custos:


Se esse consumo de serviços bancários ocorreu de forma pontual, num mês atípico, o correntista não tem muito com o que se preocupar porque não é um custo proibitivo. Entretanto, o seu perfil como correntista envolve operações que o ultrapassam os limites máximos dos Serviços Essenciais a "brincadeira" pode sair muito cara. Esse custo em um ano chegaria a R$ 219,60 na Caixa e R$ 347,48 no Santander. Nada desprezível.


A armadilha dos Pacotes de Serviço


Alegando reduzir os custos para esses correntistas (e aumentar sua segurança de renda mensal, claro) os bancos ofertam aos seus clientes os famosos Pacotes de Serviços.

Os pacotes de serviços nada mais são do que um conjunto de serviços, com quantitativos máximos mensais superiores ao estabelecido nos Serviços Essenciais, em troca do pagamento de um valor fixo mensal, seja utilizado ou não o total de serviços e quantidades máximas contratadas.

Utilizando o exemplo acima do correntista hipotético, assumindo agora que o perfil de uso citado ocorre praticamente todo mês, fiz uma pesquisa nos sites dos bancos de forma a encontrar um Pacote de Serviços no qual nenhuma tarifa extra fosse paga. Encontrei os seguintes Pacotes de Serviço:


Ora, para facilitar, vamos colocar o custo mensal e anual dos serviços avulso e dos pacotes das duas tabelas juntos:


É notório que a adoção dos Pacotes de Serviços ofertados, via de regra, redundam em maiores custos para o consumidor. O gasto maior pode chegar a R$ 184,20 no ano, como no caso do Itaú. Exceção apenas no Santander e na Caixa que apresentam pacotes com custo menor que o dos serviços avulsos.

Aliviando um pouco a barra dos bancos, vale destacar que os pacotes oferecem uma quantidade de usos muito maior do que os utilizados no exemplo.

Enquanto correntista, você precisa estar atento e verificar se, dado o seu perfil, não seria mais vantajoso optar por um Pacote de Serviços mais barato e pagar algumas tarifas avulsas em meses atípicos. A economia é considerável.


Conta Eletrônica - Ou o que o gerente de seu banco nunca te oferecerá


Existe um único motivo pelo qual o gerente do seu banco nunca te oferecerá uma conta eletrônica:

Você terá acesso a uma gama de serviços gratuitos de uso ilimitado!

Vou repetir para que não ache que é um erro:

Você terá acesso a uma gama de serviços gratuitos de uso ilimitado!

A conta eletrônica está prevista na Resolução CMN 3.919, de 2010. É uma conta corrente como qualquer outra, dando acesso a TODOS os serviços bancários. São três as diferenças básicas da conta corrente normal:

  1. Toda a movimentação deve se dar através de meios eletrônicos como Internet, caixas eletrônicos, telefone fixo ou celular;
  2. A quantidade de uso dos serviços é ilimitada;
  3. Não há cobrança de tarifa mensal referente a Pacote de Serviços.

Precisa dizer algo mais?

Considerando a simulação utilizada nos tópicos anteriores, o custo do correntista para realizar as movimentações seria ZERO.

Duas desvantagens (para não dizer que não falei delas):

  1. Não dá direito a cheque;
  2. Operações presenciais na agência podem ser tarifadas.

Não sei você, mas eu posso muito bem conviver com essas "desvantagens". Primeiro porque o uso do cheque está cada vez menos difundido (deve ter mais de 8 anos que não assino um cheque), sendo substituído pelos cartões de crédito e débito.

Segundo porque evito ao máximo ir a uma agência bancária porque geralmente perdemos um tempo precioso na fila de espera. Quando menos aparecer na agência, melhor.

As instituições não estão obrigadas a oferecer a conta eletrônica. Tanto que não consegui achar nada a respeito nos sites do Santander, Caixa e HSBC. Já nos demais, o serviço é chamado da seguinte forma:

  • Bradesco: DigiConta
  • Bando do Brasil: Pacote Digital
  • Itaú: iConta


Conclusão


Faço uso da conta eletrônica há mais de 3 anos. Nesse período fiz inúmeros DOC/TED, saques, transferências, pagamentos, etc. e meu custo de tarifas com o banco foi ZERO (exceto taxa de administração de fundos de investimento).

Se optasse por um Pacote de Serviços, possivelmente teria tido um custo superior a R$ 1 mil com a tarifa mensal do pacote e alguns serviços avulsos nesse período.

Se eu fosse você, iria imediatamente ao meu banco mudar a minha conta corrente.


Pense nisso!

Um grande abraço e até a próxima!


Kleber Rebouças

Rico Dinheiro: Curta e Compartilhe Educação Financeira!











Comentários

  1. Sem dúvida o gerente jamais vai oferecer uma conta eletrônica. Ele só oferece o que faz bater sua meta, e o que lhe traz mais comissão. Vide os investimentos oferecidos aos clientes. Triste realidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Douglas. Mas não podemos culpar o gerente, apenas. Devemos lembrar que nós somos os maiores interessados em nossos dinheiro. Portanto, devemos assumir a responsabilidade e aprender a lidar melhor com ele.

      Educação financeira faz bem à saúde!

      Forte abraço!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Financiamento Imobiliário: Tabela PRICE ou SAC?

Exchange Traded Fund

Ganhe Dinheiro com o seu Cartão de Crédito